Atleta: Utilize o sal em sua alimentação corretamente

A hipertensão não é um problema comum entre os jovens, mas ele aumenta com a idade. Como o sódio é altamente associado à doença, há uma preocupação maior com a sua ingestão, que cresce proporcionalmente quando a idade avança. Para um corredor saudável, com baixa perda de suor, a ingestão de 2 a 3 gramas por dia de sódio é suficiente.

Em treinos ou provas sob o sol forte, no entanto, a perda deste nutriente excede qualquer padrão, o que pode nos levar a um dilema: sal agora, que pode significar hipertensão daqui a alguns anos? Ou menos sal agora, que pode prejudicar o desempenho amanhã?

Se você não tem histórico familiar de hipertensão na família, pode optar por um melhor desempenho na corrida. Pesquisas confirmam que o consumo de sódio antes de exercícios no calor melhora o equilíbrio líquido e a resistência. Já a ingestão de sal durante a corrida é benéfica porque estimula a sede e ajuda a repor os eletrólitos perdidos no suor. Porém, a falta de sódio ao final da corrida dificulta a normalização da hidratação e é mais difícil avaliar a perda de sódio do que a de fluídos.

Textura granulada na face e na pele, um anel claro de suor na roupa e a camiseta encharcada de suor depois de correr são sinais de grandes perdas de sódio e os níveis inadequados também podem ser responsáveis pelas câimbras musculares. Esses sinais de perdas maiores de sódio justificam um pequeno aumento de sal na dieta. Recentes pesquisas sugerem que o organismo tem mais apetite por comidas salgadas quando sofre de perdas de sódio – e o contrário também é verdadeiro: quanto menor a perda, menor o desejo por sal.

Mas, atente-se: a reposição de sódio não deve significar que o corredor coma sal o tempo inteiro, em toda a comida, muito menos consumir salgadinhos e batatas fritas o dia todo. A forma ideal é consumir alimentos que possuam sódio, mas que também tenham outros nutrientes. Alguns destes alimentos incluem queijos, atum em lata, azeitonas e sucos de vegetais.

Já os corredores que possuem histórico familiar de hipertensão se sentirão mais confiantes para lidar com a situação se realizarem exames físicos e tiverem acompanhamento médico prévio. As regras gerais para hipertensos continuam aplicáveis, e é possível limitar a quantidade de sódio excedente. Mas, para qualquer um dos casos, o recomendado mesmo é fugir dos fast-foods ou, pelo menos, só cair em tentação durante a temporada de treinos no verão ou em dias mais quentes.