Curiosidades sobre o Sal

– A diferença entre o sal refinado e o sal grosso está no processo de refinamento. O sal de cozinha comum é lavado, moído, centrífugado, seco em alta temperatura e peneirado. Ele também recebe iodo antes de ir para a embalagem. Já o sal grosso mantém essa aparência por que o processo de recristalização é mais lento.

– O iodo (ou iodato de potássio) é acrescentado ao sal a fim evitar uma doença da tireóide chamada bócio.
– Curiosamente, os oceanos são menos salgados nas regiões próximas do Equador. A explicação é bastante simples: a quantidade de chuvas nessas regiões é maior do que o de evaporação da água do mar. Em certas regiões, o volume de água das chuvas é 22 vezes maior do que a água que evapora, tornando o mar bem menos salgado.
– O mar mais salgado é o Mar Morto, no Oriente médio. O menos salgado é o Báltico, que fica na Escandinávia, Norte da Europa.
– Os habitantes de países frios costumam utilizar o sal para derreter a neve das estradas e ruas no inverno. Sem o sal, as ruas se tornam escorregadias e propícias a acidentes.
– Sal na pele do sapo irrita, dói e provoca sufocamento no animal. Ele pula como um louco. Mas por quê o sal faz tanto mal para os sapos? Simples, porque eles respiram pela pele. O sal “rouba” água do organismo e atrapalha a respiração do bicho.
– As lesmas praticamente derretem, transformando-se em uma massa disforme, se jogarmos sal nelas. Como o sal é uma substância que absorve água, ela tira toda o líquido do corpo, matando a lesma em pouco tempo. O mesmo acontece com os caracóis, com a diferença de que estes tem uma armadura para se proteger.
– As vacas consomem sal para manter o equilíbrio das funções orgânicas. A formação dos ósseos e mesmo a contração muscular do animal dependem muito da quantidade de cloreto de sódio no organismo. Uma vaca consome 60 gramas de sal por dia, enquanto um ser humano não passa de 12 gramas diárias. Como não encontram sal na natureza, elas retiram a substância das próprias plantas que comem.