Sal aumenta em seis vezes a capacidade do HD

Uma equipe de pesquisadores descobriu que a adição de sal no preparo de HDs produz dispositivos de armazenamento com seis vezes mais densidade de armazenamento.

Isso significa que, em alguns anos, um disco que guarda 1 Tera, por exemplo, poderá armazenar 6 Tera no mesmo espaço.

Os pesquisadores, liderados pelo Dr Joel Yang, da Agência de Ciências, Tecnologia e Pesquisa de Singapura, descobriu que a adição de sal melhora o armazenamento porque força os bits (os pedaços de informação) em padrões previsíveis, organizados, no HD.

A analogia da equipe é a de uma mala de viagens: quanto mais organizados os itens dentro dela, mais coisas cabem. Com o HD é a mesma coisa. Os discos comuns possuem grãos magnéticos nanoscópicos, de 7 a 8 nanômetros, distribuídos aleatoriamente em sua superfície. Algumas dezenas deles, juntas, armazenam um bit.

O que os pesquisadores fizeram foi desenvolver um processo que pode aumentar a densidade de gravação de dados em até seis vezes criando pequenas ilhas magnéticas de 10 nanômetros. – “organizando” o HD. Cada uma delas, sozinha, é capaz de armazenar um bit.

Esse processo, previamente desenvolvido, utiliza litografia com laser e sal para arrumar as mini estruturas. A técnica já está bastante adiantada, e os pesquisadores trabalham agora em formas de torna-la comercializável.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Isso significa que, em alguns anos, um disco que guarda 1 Tera, por exemplo, poderá armazenar 6 Tera no mesmo espaço.

Os pesquisadores, liderados pelo Dr Joel Yang, da Agência de Ciências, Tecnologia e Pesquisa de Singapura, descobriu que a adição de sal melhora o armazenamento porque força os bits (os pedaços de informação) em padrões previsíveis, organizados, no HD.

A analogia da equipe é a de uma mala de viagens: quanto mais organizados os itens dentro dela, mais coisas cabem. Com o HD é a mesma coisa. Os discos comuns possuem grãos magnéticos nanoscópicos, de 7 a 8 nanômetros, distribuídos aleatoriamente em sua superfície. Algumas dezenas deles, juntas, armazenam um bit.

O que os pesquisadores fizeram foi desenvolver um processo que pode aumentar a densidade de gravação de dados em até seis vezes criando pequenas ilhas magnéticas de 10 nanômetros. – “organizando” o HD. Cada uma delas, sozinha, é capaz de armazenar um bit.

Esse processo, previamente desenvolvido, utiliza litografia com laser e sal para arrumar as mini estruturas. A técnica já está bastante adiantada, e os pesquisadores trabalham agora em formas de torna-la comercializável.